Laboratório de Matemática

Laboratório de Matemática totalmente reformulado para os alunos, mais um diferencial Colégio Perpétuo Socorro.

Projeto Conexões

Uma Inovação na Educação de nossos Jovens.

Laboratório de Ciências

Inovando para um Aprendizado com Excelência.

Plataforma Digital FTD

Uso exclusivo dos alunos do Ens. Fundamental II e Ens. Médio.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Homenagem a Cidade de São Gabriel - RS






Vídeo do Colégio Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Homenagem aos 171 anos da Cidade de São Gabriel - RS


A IDENTIDADE CATÓLICA DO COLÉGIO NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO – SÃO GABRIEL


Segue abaixo texto escrito pela Diretora do Colégio Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Irmã Ágata Biesdorf para o Jornal do SINPOL-RS (Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Rio Grande do Sul), sobre a Identidade Católica do Colégio.

terça-feira, 7 de março de 2017

Hino Campanha da Fraternidade 2017



quarta-feira, 16 de março de 2016

Internet - Os Perigos da Exposição Excessiva



DICAS AOS PAIS:
O direito e as próprias leis não resolvem, por si sós, o problema, dado o poder de disseminação da internet. Assim, evitar é a melhor solução sempre.

Participem da vida digital de seus filhos. Falem com suas meninas sobre o valor da intimidade e ensinem seus meninos a respeitar a privacidade do outro, sobretudo das mulheres.

Acompanhem a interatividade de seus filhos nas redes sociais e em jogos online, observando as novas amizades e demais comportamentos.

Alertem-nos (mostrando casos reais mesmo) quanto aos perigos a que estão expostos no universo digital e como preveni-los.

Realizem a configuração de privacidade junto com o jovem e conversem sobre o valor da privacidade para o hoje e o futuro.

Mantenham um elo de confiança com seus filhos, de forma que eles se sintam à vontade para procurá-los, em caso de necessidade.

DICAS PARA OS JOVENS:
Resistam à tentação e não disponibilizem na internet tantas informações/dados pessoais.

Não deixem suas senhas gravadas e cliquem em SAIR quando terminarem de usar um dispositivo eletrônico.

Mantenham a webcam desligada e somente a abram para conhecidos.

Nunca, jamais e sob qualquer hipótese, permitam-se ser fotografados ou filmados em trajes e/ou situações íntimas. Sempre considerem a hipótese de aquele conteúdo vazar.

Jamais cedam a chantagens, seja qual for a ameaça. Procurem ajuda!

Seja qual for a situação, preservem as provas (da exposição ou chantagem), denunciem ao site para que retire o conteúdo do ar (se for o caso) e façam boletim de ocorrência, de preferência em uma delegacia especializada em crimes digitais, e, em seguida, bloqueiem o contato inconveniente de suas redes e canais de comunicação. Por fim, não tenham medo e busquem ajuda de um adulto de sua confiança: seus pais, um tio, uma tia, professora, diretor da escola, a mãe de uma amiga. Se preferirem, recorram ao Helpline (new.safernet.org.br/helpline), onde serão atendidos, gratuitamente, por um psicólogo, com respeito, anonimato e estrito sigilo sobre tudo o que for dito.

Há também a alternativa de denunciar crimes contra os direitos humanos no site www.humanizaredes.gov.br, uma iniciativa do governo federal que visa a garantir aos usuários brasileiros, priorizando crianças e adolescentes, uma internet livre de violações de seus direitos.

Para denunciar crimes contra os direitos humanos cometidos na internet, dentre eles, pornografia infantil, crimes de ódio, genocídio e tráfico de pessoas, acessem o site denuncia.pf.gov.br, mandem um e-mail para denuncia.ddh@dpf.gov.br ou procurem a delegacia de polícia mais próxima.

É possível, ainda, denunciar por meio do site da Câmara dos Deputados, Senado Federal, Secretaria de Direitos Humanos, Ministérios Públicos Federal e Estaduais e também pelo site www.safernet.org.br.

Para denunciar, não é preciso se identificar, contudo o fato de se optar por uma denúncia anônima não retira a obrigatoriedade de dizer apenas a verdade. Isso porque atribuir falsamente a alguém a responsabilidade pela prática de um crime, com a intenção apenas de prejudicá-lo, pode ser tipificado como crime de calúnia, para o qual é prevista a pena de detenção de seis meses a dois anos, além de multa.

O Disque 100, serviço de atendimento telefônico gratuito, funciona 24 horas por dia, nos sete dias da semana. As denúncias recebidas na Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos e no Disque 100 são analisadas, tratadas e encaminhadas aos órgãos responsáveis.


PROFESSORES:
Lembrem-se de que são exemplos e importante referência na vida de seus alunos.

Promovam campanhas e atividades interativas que os façam compreender o valor da privacidade, do amor próprio e da reputação.

Ensinem a seus alunos que a moda passa, mas o que foi postado na internet fica.

Buscando informação, agindo com consciência e ética e tomando os devidos cuidados, a interação via internet pode ser segura e saudável para todos.

Texto retirado da Revista Linha Direta escrito por Alessandra Borelli
 Advogada e Diretora - Executiva da Nethics - Educação Digital.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

VOLTA ÀS AULAS 2016 - ANEC




Prezados irmãos e irmãs,

Ao saudar a direção, o corpo docente, os estudantes e os funcionários das escolas e universidades gaúchas, desejamos que o ano letivo de 2016 seja marcado pelo Jubileu da Misericórdia, pois diariamente vocês participam de uma importante obra de misericórdia: educar; conduzir homens e mulheres à verdade.

Renovemos, então, nosso compromisso e missão, mesmo diante dos desafios dos diversos contextos. Sabemos que historicamente a educação esteve fortemente vinculada ao conhecimento aliado à experiência. Quando ocorreu a separação entre o saber e o viver, todos perdemos. Educar, hoje, é buscar a religação dos saberes, é integrar o que está fragmentado, é humanizar uma sociedade que avança em todos os âmbitos, entretanto, clama pelo sentido último da existência.

Nossas instituições educativas, consolidadas pela tradição católica, têm uma confiabilidade que fortalece nossa prática: pensar, viver e crer não se opõem. Diante do mundo plural e secularizado, somos convidados a promover a cultura da proximidade e do encontro. O exemplo do Papa Francisco nos instiga para estabelecermos relações humanas menos verticais e mais cuidadoras. Que sejamos capazes de trilhar caminhos que nos possibilitem ser bem informados, mas não menos solidários, éticos e abertos à transcendência.

A valorização do diálogo, do amor e do respeito à pessoa humana são aspectos originais, embora não exclusivos, da prática educativa cristã. Que tudo o que somos e fazemos em nossas escolas e universidades, favoreça a construção de uma sociedade que promova a dignidade de toda pessoa humana, especialmente dos mais necessitados. Nada nos separe da estrada indicada por Jesus Cristo: “luz que ilumina todo ser humano que vem a este mundo” (Jo 1,9). Ele estará conosco a exortar: “Ide e ensinai!” (Mt 28,19s).

Que o ano de 2016 seja abençoado pela Virgem Maria, Mater Misericordiae!
Recebam nossa bênção e abraço fraterno.

Prof. Dr. Irmão Paulo Fossatti, FSC
Reitor do Cento Universitário La Salle
Diretor Presidente da ANEC

Dom Leomar Brustolin
Bispo Auxiliar de Porto Alegre
Referencial para Cultura e Educação
da CNBB Regional Sul 3

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Fundamentação legal para a inclusão da criança de 6 anos de idade no Ensino Fundamental


Leis
Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 – admite a matrícula no Ensino Fundamental de nove anos, a iniciar-se aos seis anos de idade.
Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001 – estabelece o ensino fundamental de nove anos como meta da educação nacional.
Lei nº 11.114, de 16 de maio de 2005 – altera a LDB e torna obrigatória a matrícula das crianças de seis anos de idade no Ensino Fundamental.
Lei nº 11.274, de 6 de fevereiro de 2006 – altera a LDB e amplia o Ensino Fundamental para nove anos de duração, com a matrícula de crianças de seis anos de idade e estabelece prazo de implantação, pelos sistemas, até 2010.

Resolução
Resolução CNE/CEB nº 3/2005, de 3 de agosto de 2005: Define normas nacionais para a ampliação do Ensino Fundamental para nove anos de duração.
Resolução Nº 1, DE 14 DE JANEIRO DE 2010 – Define Diretrizes Operacionais para a implantação do Ensino Fundamental de 9(nove) anos.

Parecer CNE/CEB nº 5/2007, de 1º de fevereiro de 2007 (reexaminado pelo Parecer CNE/CEB nº 7/2007): Consulta com base nas Leis nº 11.114/2005 e n° 11.274/2006, que tratam do Ensino Fundamental de nove anos e da matrícula obrigatória de crianças de seis anos no Ensino Fundamental.
Parecer CNE/CEB nº 7/2007, de 19 de abril de 2007: Reexame do Parecer CNE/CEB nº 5/2007, que trata da consulta com base nas Leis nº 11.114/2005 e n° 11.274/2006, que se referem ao Ensino Fundamental de nove anos e à matrícula obrigatória de crianças de seis anos no Ensino Fundamental.

QUAL A IDADE MÍNIMA EXIGIDA PARA INGRESSAR NO 1° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL? QUAL A IDADE DE CORTE?

 


            Este Conselho exarou a Resolução CEED nº 307, de 31 de março de 2010, que estabelece a idade mínima de 6 anos, completados até 31 de março para o ingresso no 1º ano do Ensino Fundamental. A decisão que ampliava o prazo foi suspensa por Desembargador Federal na Apelação/Reexame Necessário Nº 5000600-25.2013.407.7115/RS, restando mantida, para o Sistema Estadual de Educação, a idade de corte referida na Resolução acima.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Peça teatral encenada pelos alunos do 6º e 7º ano, sob o título "O Negrinho do Pastoreio"


Vale a pena conferir a lenda do Negrinho do Pastoreio.